Dica de Série – Marvel’s Agente Carter

No remoto ano de 1989 o mundo assistia extasiado o primeiro filme decente de super-heróis desde Superman, em 1977. Se descontarmos Howard The Duck em 1986, claro. Os fãs de Batman viam na Gotham de Tim Burton algo muito mais próximo do Cavaleiro das Trevas de Frank Miller do que do Batman de Adam West, que todos amamos mas em outro contexto. 

Com a “morte” do Capitão América e o fim da Guerra Peggy segue com sua vida, como contado no curta Agente Carter, disponível no filme do Homem de Ferro 3. Nele ela é colocada para trabalhar na Strategic Scientific Reserve — SSR, agência que dará origem à SHIELD, sediada em NY, apenas para descobrir que para todo mundo no escritório ela não é a agente britânica que combateu Hitler e a Hydra junto do Capitão América. Lá ela é apenas uma mulher, sendo tratada como uma secretária de Mad Men, que conseguiu aquela vaga por ser lanchinho de herói.

A série começa com Howard Stark sendo acusado de espionagem, em uma alusão ao período Macartista da História dos EUA. Várias de suas invenções são encontradas em mãos inimigas, o Governo acredita que ele as esteja vendendo.

Com Stark foragido, Peggy é cercada em um beco por um estranho, onde depois de uma briga, na velha tradição de personagens de quadrinhos sempre caírem na porrada no primeiro encontro, ele se apresenta como o mordomo de Stark, Edwin… Jarvis.

Nos dois primeiros episódios ela vai atrás de um grupo que roubou o McGuffin da vez, a fórmula de Nitramino, um mega-power explosivo, etc, etc. Para isso ela abre cofres, se disfarça de Jessica Rabbit loura, conversa com o Dr Anton Vanko (sim, o pai do Mickey Rourke em Homem de Ferro 2) e visita a Roxxon Oil, nome conhecido de todo leitor da Marvel. Poucas vezes uma personagem foi tão detalhada em tão pouco tempo. Fica claro que ela ainda sofre com a morte de Steve Rogers, mas sua vida não parou por causa disso. Ela também não tenta se enganar, não é escrita como um robô sem emoções. Quando algo terrível acontece com a colega de quarto Peggy se permite um momento de emoção, um lindo desabafo bem interpretado por Hailey Atwell. 

Confira o trailer:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *